Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blue Planet

Blue Planet

.cho.co.la.te.

Ó meu Deeeeeeeus! 

Eu não me empanturro com bifes, arrozes, batatas, filetes, panados, saladas (ai quem me dera!). Não costumo repetir o conduto (sim, no Porto ao prato que vem depois da sopa e antes da sobremesa chamamos conduto). Mas a minha forma roliça não se deve ao facto de inalar o ar. Às vezes, com este metabolismozinho de merda, mais parece, mas a verdade é que sou uma desvairada no que diz respeito às gulodices. Sou menina para arrumar com uma tabele de chocolate em segundos (ai que o Lidl tem uma tão boa de chocolate de leite e avelãs por 0,79€ ), com os "filipinos" do Pingo Doce, com os croissants da Padaria Portuguesa. É que nem vou dar mais exemplos porque quem não sabe é como quem não vê. 

Nos últimos tempos (à dois dias, mais precisamente) tenho feito um esforço por comprar apenas coisas sanas, porque elas existem nos mesmos supermercados supra citados e são igualmente deliciosas (mantra que me tenho repetido mental e constantemente). Tenho-me vingado na fruta, nas panquecas de aveia e no muesli, que tem um bocadinho de chocolate, me confesso.

Passaram apenas 48h, nada de extraordinário, é verdade, mas já recebi um boost de energia, quando amigas, daquelas irritantes gurus da health life, que não me viam à uma semana me dizem: "Blue, estás mais magra!". Não é verdade, mas possivelmente perdi volume. Tenho é que fazer uma adenda: a última semana foi passada em casa, no colinho da família, só a comer coisas boas e sanas. Com umas prevaricações nocturnas, mas nada de extraordinário (de quando em vez sinto-me uma dependente!). E a verdade é que comer bem faz toooooooda a diferença.

Acontece que ontem, voltei em grande ao trabalho. 16h no lombo e às 5h da manhã já estava a ressacar. Tinha esgotado os meus tapwares (que esquisita que fica a palavra escrita!) de fruta, de iogurtes gregos, de panquecas,... Senti mesmo que o meu cérebro estava a precisar de glicose. Vai daí que pensei para mim que aquela prevaricação não seria uma prevaricação, mas sim uma necessidade para desempenhar um bom trabalho. Dei corda às minhas crocs e fui à máquina do -1. Seleccionei o café e depois virei-me para a secção dos snacks. Trabalho num hospital público. Não sei se estão a par das alterações a nível das comidas das máquinas de distribuição e dos bares, mas as ementas foram revistas e desapareceram uma série de coisas. Eu percebo e concordo, mas turnos de 16h pedem coca-colas, kit kats, snickers, pringles,... e... em vez de ter seleccionado o snickers (acabou-se o kit kat buahhhhhh) seleccionei uma barra de cereais com vestígios apenas observáveis a microscópio de chocolate que me custou os mesmos 0.90€ que me teria custado um filho-de-uma-mãe de um snickers. Karma sucks.

0d9bd0ddfa226e3b83da0a12eb41030b.jpg

 

4 comentários

Comentar post